Mundo

UE prolonga por mais um ano sanções ao regime sírio e aos seus apoiantes

Khalil Ashawi

As sanções incluem um embargo petrolífero e restrições a determinados investimentos.

A União Europeia (UE) prorrogou esta sexta-feira por mais um ano, até01 de junho de 2020, as sanções ao regime sírio e aos seus apoiantes, por considerar que prossegue a repressão da população civil no país.

O Conselho da UE atualizou ainda a lista de pessoas e entidades abrangidas pelas medidas restritivas, retirando cinco pessoas por morte, uma entidade que deixou de existir e outra cuja manutenção na lista deixou de estar fundamentada.

A lista de sanções à Síria passa agora a incluir "270 pessoas e 70 entidades sujeitas a proibições de viajar e congelamentos de ativos por serem responsáveis pela repressão violenta exercida contra a população civil na Síria, por beneficiarem do regime, por serem apoiantes deste e/ou por estarem associadas a essas pessoas ou entidades", segundo um comunicado do Conselho da UE.

As sanções atualmente em vigor contra a Síria incluem um embargo petrolífero, restrições a determinados investimentos, o congelamento dos ativos do Banco Central sírio detidos na UE, restrições à exportação de equipamento e tecnologia que possam ser usados para fins de repressão interna e de equipamento e tecnologia destinados à monitorização ou interceção de comunicações telefónicas ou pela Internet.

Lusa