Mundo

Procuradoria francesa diz que foram detidos dois suspeitos do ataque de Lyon

Emmanuel Foudrot / Reuters

Anteriormente, o ministro do Interior anunciava a detenção de um suspeito.

A polícia francesa deteve duas pessoas - um homem e uma mulher - por suspeita de envolvimento na explosão no centro de Lyon que feriu 13 pessoas na sexta-feira passada, disse hoje a Procuradoria de Paris.

Anteriormente, o ministro do Interior, Christophe Castaner, anunciava, através de uma mensagem difundida através da rede social Twitter, a detenção de um suspeito.

A informação veiculada pelo ministro foi confirmada pela Procuradoria Especial de Paris que trata dos crimes relacionados com terrorismo, acrescentando que foram efetuadas duas detenções relacionadas com o mesmo caso - um homem de 24 anos, estudante de nacionalidade argelina e uma mulher, sem adiantar mais pormenores, segundo a agência France-Presse.

"É um alívio para todos os habitantes de Lyon"

O autarca de Lyon, Gerard Collomb, ex-ministro do Interior, disse que um dos suspeitos é um estudante e foi detido no momento em que abandonava um autocarro.

"É um alívio para todos os habitantes de Lyon. Eu acredito que o caso está a resolver-se", disse Collomb à estação de televisão BFM.

"Se existir uma rede, vai ser identificada e, de certeza, desmantelada", afirmou ainda o presidente da Câmara de Lyon.

A polícia lançou uma operação de busca após a explosão de um objeto armadilhado, sexta-feira, numa das ruas mais movimentadas do centro da cidade de Lyon.

Na altura, as forças policiais disseram que tinham iniciado uma investigação sobre um crime "ligado a atividades terroristas".

Até ao momento o "ataque de Lyon", tal como foi classificado pelo presidente francês, não foi reivindicado.

Na sexta-feira, Remy Heitz, o procurador especial contra atividades terroristas, referiu-se às informações recolhidas pelas câmaras de vigilância e que mostravam um ciclista que se dirigiu para o centro de Lyon.

O homem abandonou a bicicleta antes de entrar na rua destinada apenas a peões e colocou um saco de papel junto a um bloco de cimento frente a uma padaria.

As mesmas imagens mostram o homem a dirigir-se pelo mesmo caminho para o local onde tinha deixado a bicicleta.

Um minuto depois a bomba explodia ferindo 13 pessoas.

Os investigadores descobriram no local estilhaços de parafusos, berlindes de vidro e pilhas que podem ter sido projetados pelo engenho explosivo.

Lusa

  • Olhá Festa em Pinhel
    11:51