Mundo

Polícia birmanesa emite mandado de detenção a monge budista que promove islamofobia

Darren Whiteside

Ordem foi emitida esta terça-feira à noite

A polícia birmanesa emitiu um mandado de detenção contra o ultranacionalista monge budista Wirathu, conhecido por promover a islamofobia e o ódio racial, particularmente contra a minoria muçulmana Rohingya.


A ordem foi emitida na terça-feira à noite com base no artigo 124 da Lei de Sedição, que proíbe o ódio encorajador ou o desprezo contra o Governo e prevê uma pena máxima de três anos de prisão, segundo a polícia.


O monge, a quem a revista Time chamou de "o rosto do terror budista", é acusado de fazer comentários difamatórios contra a líder do Governo birmanês, Aung San Suu Kyi.


O monge é conhecido por promover a islamofobia, incluindo comentários que incentivaram uma onda de violência sectária contra a população muçulmana do centro de Burma em 2013 e mais tarde em 2017, quando mais de 700.000 rohingyas abandonaram a região, fugindo à violência do exército birmanês e de milícias budistas e refugiaram-se em campos improvisados no vizinho Bangladesh.

Lusa

  • Olhá Festa em Pinhel
    11:51