Mundo

Deslizamento de terras no Uganda provoca dezenas de desaparecidos

Foram destruídas cerca de 150 casas. Estima-se que 5 pessoas morreram e cerca de 50 estão desaparecidas

Dezenas de pessoas estão dadas como desaparecidas no distrito de Bududa, no este do Uganda, na sequência de um deslizamento de terras provocado por chuvas intensas, anunciou hoje a Cruz Vermelha local.

"As primeiras informações que nos chegaram dão conta de cerca de 150 casas que podem ter sido destruídas, cinco mortos presumíveis e cerca de 50 desaparecidos", indicou a organização através de um comunicado, citado pela agência France-Presse.

De acordo com a porta-voz da Cruz Vermelha, Irene Nakasiita, "a região de Bududa foi atingida por chuvas fortes que provocaram deslizamentos de terras" e muita destruição.

O distrito de Bududa, junto ao monte Elgon, na fronteira entre o Uganda e o Quénia, é uma zona de alto risco de deslizamento de terras. Em 2018, pelo menos 41 pessoas morreram devido ao transbordamento de um rio na região e em 2010 uma centena de pessoas foi vítima de um deslizamento de terras.

O gabinete do primeiro-ministro ugandês, Ruhukana Rugunda também deu conta da existência de "deslizamento de terras e de destruição de bens, assim como de pessoas desaparecidas".

"No total, estimamos que mais de 100 mil pessoas que vivem em estado precário nas encostas do monte Elgon estão em grande perigo e devem ser realojadas para evitar o risco de deslizamento de terras", acrescentou o gabinete.

Um deputado local, Godfrey Watenga, disse à AFP que os deslizamentos ocorreram na terça-feira à tarde. "É uma tragédia. Muitas pessoas morreram e muitas estão desaparecidas, mas estamos a tentar obter pormenores dos acontecimentos porque as aldeias afetadas são de muito difícil acesso", acrescentou.

Lusa