Mundo

Levar telemóvel para reuniões oficiais vai valer 7 anos de prisão na Malásia

O Primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak (à esquerda), tira fotos com o telemóvel ao lado do Presidente do Sri Lanka, Maithripala Sirisena, durante um encontro bilateral em Colombo.

Dinuka Liyanawatte

Nova diretiva proíbe ministros e funcionários governamentais malaios de entrarem com qualquer dispositivos tecnológicos inteligente em reuniões importantes de forma a evitar fugas de informação

Uma "decisão inteligente"

Não só só telemóveis, o decreto das autoridades de Kuala Lumpur veta o uso de todos os dispositivos tecnológicos inteligentes, em reuniões importantes de forma a evitar fugas de informação.

Segundo o jornal malaio The Star, o uso de relógios inteligentes, câmaras ou gravadores de voz estão também proibidos em comités de segurança nacional, em comités sobre o Orçamento de Estado e em reuniões de relações internacionais.

"Esta norma tornou-se numa necessidade porque o uso descontrolado desses dispositivos por agências do governo pode ter uma implicação e compromisso de segurança negativa (..) As medidas serão tomadas contra qualquer membro que não cumprir com a directiva", com penas de até sete anos de prisão, confirmou o Director Geral da Segurança Nacional, Sanusi Sidek.

  • André Rieu fez um vídeo para os fãs portugueses
    0:38