Mundo

O que fazer para conseguir acordar mais cedo

Jason Lee

Cientistas australianos e ingleses estudaram mudanças no dia-a-dia de vários indíviduos.

Todas as pessoas têm um relógio biológico interno, só que nem todos são certos.

Os indíviduos diurnos acordam mais cedo e têm dificuldade em permanecer acordados até tarde, enquanto que os indíviduos notívagos preferem ficar mais tempo a dormir e acordar mais tarde.

Estes últimos têm um risco mais elevado de morte prematura e de desenvolver doenças físicas ou mentais.

Foi neste sentido que cientistas da Austrália e do Reino Unido, de acordo com a BBC, decidiram pesquisar as mudanças que podem ser tomadas para ajustar este relógio e, consequentemente, melhorar o bem-estar.

As técnicas foram simples, os participantes receberam um horário para dormir, foram obrigados a reduzir o consumo de cafeína e a apanhar sol logo pela manhã.

O comportamento de 21 notívagos, que tinham por hábito adormecer por volta das 2h30 e acordar depois das 10h00, foi analisado, e posteriormente, receberam várias indicações, que foram aplicadas durante três semanas, como acordar e adormecer duas a três horas mais cedo do que o habitual, tomar o pequeno-almoço, praticar exercício físico apenas na primeira parte do dia, ter horas certas para almoçar e não comer nada depois das 19h00, não beber café após as 15h00, nem fazer sestas depois das 16h00.

Neste espaço experimental, os participantes conseguiram ajustar o relógio biológico e relataram níveis mais baixos de sonolência, stress e depressão, assim como, um melhor tempo de reação.

"Níveis insufícientes de sono (...) podem interferir em muitos processos corporais, aumentando o risco de doença cardiovascular, cancro e diabetes." afirma Debra Skene, professora da Universidade de Surrey.

O investigador Andrew Bagshaw, da Universidade de Birmingham, acrescenta que "Ser capaz de ajudar uma boa parte da população a sentir-se melhor sem uma intervenção particularmente radical é muito importante".