Mundo

Tribunal italiano fecha inquérito a Salvini por sequestro

Remo Casilli

O caso envolvia 47 migrantes socorridos a 19 de janeiro ao largo da Líbia, que só conseguiram desembarcar em 31 de janeiro na Catânia.

Um tribunal italiano ordenou esta sexta-feira o abandono de um inquérito aberto por sequestro contra o ministro do Interior, Matteo Salvini, que tinha recusado o desembarque a migrantes recolhidos no Mediterrâneo por uma organização não-governamental (ONG).

O caso envolvia 47 migrantes socorridos em 19 de janeiro ao largo da Líbia pelo navio da ONG alemã Sea Watch, que só conseguiram desembarcar em 31 de janeiro na Catânia, na ilha da Sicília, depois de um acordo de repartição com sete outros Estados europeus.

"Não foi sequestro, mas apenas um pedido para que as regras fossem respeitadas", comentou Salvini, que também é vice-primeiro-ministro, depois do julgamento.

"Os processos e os inquéritos não me fazem medo, mas fico contente por ver que o poder judicial confirma que os portos podem ser fechados aos navios-pirata", acrescentou.

Segundo a imprensa italiana, o tribunal, que está baseado na Sicília, considerou que o navio "Sea Watch 3", com pavilhão holandês, tinha "penetrado em Itália de forma unilateral e sem autorização da Guarda Costeira".

Neste caso também eram visados outros ministros italianos, como o chefe do governo, Giuseppe Conte, o outro vice-primeiro-ministro, Luigi Di Maio, e o ministro dos Transportes, Danilo Toninelli.

As acusações feitas contra estes também não tiveram acolhimento.

Lusa

  • O que houve de melhor no SBSR
    11:16
  • Descobrir as rotas do Alentejo
    14:59