Mundo

Detido assessor do ministro do Turismo brasileiro por suspeita de fraude nas eleições

Ministro do Turismo do Brasil, Marcelo Álvaro Antônio.

Jake Spring

A polícia investiga um suposto esquema de candidaturas-fantasma.

Um assessor do ministro do Turismo do Brasil foi preso esta quinta-feira de manhã, em Brasília, numa investigação sobre candidaturas-fantasma do Partido Social Liberal (PSL, do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro), anunciou a Polícia Federal.

Desde fevereiro, a polícia investiga um suposto esquema de candidaturas-fantasma que alegadamente terá sido organizado pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, no estado de Minas Gerais.

Os investigadores encontraram indícios de fraude em candidaturas de mulheres lançadas no estado de Minas Gerais nas eleições de 2018, que terão recebido um volume considerável de dinheiro, mas tiveram poucos votos.

A suspeita é que as mulheres não fizeram campanha e em troca de uma percentagem combinaram a devolução de parte destes recursos ao PSL.

Num comunicado, a Polícia Federal informou apenas que realiza hoje a segunda fase da Operação Sufrágio Ostentação, para esclarecer suspeita de irregularidade na aplicação de recursos referentes a campanhas eleitorais femininas do PSL em Minas Gerais.

No início da manhã, foram cumpridos três mandados judiciais de busca e apreensão e três mandados judiciais de prisão temporária, em Brasília e nas cidades de Governador Valadares e Ipatinga.

Lusa

  • Cepas da Serra
    10:16
  • "À descoberta com..." Inês Castel-Branco na Tailândia 
    3:14