Mundo

Ex-primeiro-ministro da Macedónia escapa à extradição em Budapeste

Ognen Teofilovski

Nikola Gruevski fugiu do seu país em novembro para escapar a uma pena de prisão por abuso de poder.

Um tribunal húngaro rejeitou esta quinta-feira em primeira instância a extradição do antigo primeiro-ministro macedónio Nikola Gruevski.

"As condições para uma extradição, atendendo ao mandado internacional de captura e ao pedido de extradição macedónio, não estão preenchidas", declarou a juiz Eva Varhegyi após uma curta audiência à porta fechada em Budapeste.

Gruevski, 48 anos, que surgiu na audiência de boné e óculos de sol, foi autorizado a deixar livremente o tribunal após o anúncio da decisão.

Primeiro-ministro conservador da Macedónia entre 2006 e 2016, e num episódio rocambolesco, Gruevski fugiu para a Hungria em meados de novembro quando deveria começar a cumprir uma pena de dois anos de prisão pelo seu uso pessoal de um Mercedes avaliado em 600.000 euros e pago com dinheiros públicos.

Skopje tem desde então insistido na extradição do antigo dirigente, também indiciado em outros dossiers sobre corrupção, abuso de poder e escutas ilegais.

A Hungria, cujo primeiro-ministro nacional-conservador Viktor Orban é considerado próximo de Gruevski, concedeu-lhe asilo político em novembro, ao considerar designadamente que a sua vida estaria em perigo nas prisões do pequeno país do sul dos Balcãs, agora oficialmente designado Macedónia do Norte.

Lusa

  • Olhá Festa em Pinhel
    11:51