Mundo

Governo não tem informação sobre vítimas portuguesas em atentado na Tunísia

STR

Pelo menos um polícia morreu e nove pessoas ficaram feridas.

O Governo português indicou esta quinta-feira que "não existe até ao momento qualquer informação" sobre cidadãos portugueses afetados pelo ataque hoje ocorrido em Tunes, capital da Tunísia.

"A embaixada de Portugal em Tunes continua a acompanhar esta ocorrência, através do contacto com as autoridades tunisinas", indicou à Lusa o fonte do gabinete do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro.

Pelo menos um polícia morreu e nove pessoas ficaram feridas na sequência de um duplo atentado suicida ocorrido em dois locais diferentes em Tunes, anunciaram fontes de segurança à agência de notícias Efe.

Duplo ataque

O primeiro e mais grave dos ataques ocorreu pouco antes do meio-dia na rua central Charles de Gaulle, perto da embaixada da França, quando um homem atacou um carro da polícia que patrulhava a zona.

"Foi uma enorme explosão que abalou toda a rua. As pessoas saíram a correr em todas as direções", explicou uma testemunha à agência Efe.
Segundo o Ministério do Interior da Tunísia, "um dos dois agentes gravemente feridos morreu" e três civis foram transportados para um hospital com ferimentos de diferentes gravidades.

O local do primeiro ataque foi cercado pelos serviços de segurança, que dispersaram polícias e curiosos e facilitaram a chegada de ambulâncias à zona afetada pelo ataque.

Quase ao mesmo tempo que o primeiro bombista suicida atacou no centro da capital, um segundo bombista suicida provocou mais quatro feridos ao explodir um pacote de explosivos perto de um quartel das forças especiais da luta contra o terrorismo, no distrito capital de Al Gorjani.

O Ministério do Interior tunisino indicou ainda que "uma investigação foi aberta para esclarecer os ataques", cuja autoria ainda não foi reivindicada.

Com Lusa