Mundo

Empresário falido comete suicídio diante de ministro e de governador no Brasil

Sergio Moraes

Homem era dono de uma fábrica que enfrentava graves problemas financeiros.

Um empresário falido do setor de cerâmica suicidou-se hoje com um tiro na cabeça em frente ao governador do estado brasileiro de Sergipe, Belivaldo Chagas, e do ministro de Minas e Energia do país, Bento Albuquerque.

O suicídio ocorreu durante a abertura de um seminário sobre o mercado de gás natural, em Aracaju, capital do Sergipe.

Segundo relato de testemunhas, o empresário Sadi Gitz acompanhava a cerimónia de abertura do evento quando se levantou, fez algumas críticas ao governador e disparou sobre a própria cabeça.

Fontes do governo de Sergipe relataram à imprensa local que o homem era dono de uma fábrica de revestimentos cerâmicos que estava com problemas financeiros por causa do alto preço do gás natural.

Numa nota emitida após o suicídio, o governador Belivaldo Chagas lamentou o incidente e cancelou o evento.

"O governo do estado de Sergipe lamenta o ocorrido com o empresário Sadi Gitz, da cerâmica Escurial, que cometeu suicídio durante o Simpósio de Oportunidades - Novo Cenário da Cadeia do Gás Natural em Sergipe", escreveu na rede social Facebook.

"Por respeito ao ocorrido, o simpósio está cancelado. Lamentamos o triste episódio, justamente num evento em que foram apontados caminhos concretos para viabilizar a produção de um gás mais barato no estado. O nosso governo presta solidariedade ao familiares e amigos. Que Deus possa confortá-los neste momento", concluiu.

Lusa

  • Doente deitada no chão do hospital?
    2:20