Mundo

Parlamento aprova liberalização do aborto e casamento homossexual na Irlanda do Norte

Clodagh Kilcoyne

Estas propostas não entram em vigor automaticamente.

O Parlamento britânico aprovou esta terça-feira, numa série de votações, a liberalização do aborto e o casamento homossexual na Irlanda do Norte.

A proposta da deputada trabalhista Stella Creasy para alargar o acesso ao aborto, permitido no Reino Unido, à Irlanda do Norte foi aprovada por 383 votos e teve 73 contra, sobretudo deputados do partido Conservador e do partido Democrata Unionista (DUP).

"Sou uma defensora apaixonada dos direitos das mulheres, acredito profundamente que, se as mulheres não são capazes de ter o mesmo controlo sobre os seus corpos que os homens, então nunca teremos a verdadeira liberdade. Se dissermos às mulheres que vamos forçá-las a continuar uma gravidez indesejada, elas serão sempre cidadãos de segunda classe relativamente aos homens", disse a deputada, durante a apresentação da proposta.

Apesar de o aborto ter sido liberalizado na República da Irlanda no ano passado, na Irlanda do Norte prevalece uma lei do século XIX que considera crime as pessoas procurarem fazer ou darem assistência num aborto, o qual só é autorizado em certos casos.

Pouco antes, os deputados britânicos já tinham aprovado, com 383 votos a favor e 73 contra, a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, que já é possível no resto do Reino Unido bem como na vizinha Irlanda.

Estas propostas não entram em vigor automaticamente, mas impõem ao governo britânico a introdução da respetiva legislação.

A Irlanda do Norte tem autonomia legislativa, mas está sem governo desde as eleições de 2017 devido à falta de entendimento entre o DUP e Sinn Féin para formar uma coligação, obrigatória nos termos do processo de paz para o território.

Lusa

  • No coração da Amazónia
    10:18