Mundo

Mulher submetida a quimioterapia e a dupla mastectomia por engano

Sarah Boyle

Caso aconteceu no Reino Unido.

Um "erro humano" levou uma mulher britânica a ser submetida a quimioterapia e a uma dupla mastectomia, só para depois descobrir que nunca esteve doente.

Em 2016, Sarah Boyle foi diagnosticada com cancro da mama, no Hospital Universitário de North Midland, na cidade inglesa de Stoke-on-Trent. Segundo o Mirror, o hospital só deu conta do erro vários meses depois da mulher de 28 anos ter sido falsamente diagnosticada.

Quando perceberam, já tinha sido submetida a quimioterapia e a uma cirurgia de extração de ambas as mamas, assim como outra de reconstrução. A história foi dada a conhecer pela própria Sarah, num programa da televisão britânica, através de um testemunho emocionado.

A mulher contou como recebeu um telefonema do hospital, apenas uma semana depois de ter sido submetida à mastectomia. "Eu perguntei-lhes, estou a morrer? É terminal? Eles responderam que era exatamente o contrário", disse, citada pelo jornal britânico.

"Pensei que tinha acabado, e que todo o sofrimento e toda a dor tinha sido por algum motivo. Para poder ser realmente a mãe que os meus filhos precisam."

Com o diagnóstico, vieram problemas psicológicos e, com o tratamento, apareceram vários sintomas e foi impedida de amamentar o filho de sete meses. A mãe de duas crianças descobriu ainda que a cirurgia de reconstrução a coloca em risco de desenvolver cancro no futuro.

Na entrevista, Sarah confessou que toda a situação foi traumatizante, desde às cirurgias desnecessárias à verdade de que nunca esteve doente.

A jovem mãe apresentará agora um processo contra o hospital, que pediu desculpas e admitiu que tinha sido um "erro humano".