Mundo

Mais de 80 trabalhadores de fábrica de cabelo moçambicana hospitalizados com sinais de intoxicação

Entre os trabalhadores que foram assistidos no Hospital Provincial da Matola incluem-se 12 grávidas.

Oitenta e cinco trabalhadores de uma empresa de produção de cabelo artificial em Boane, no sul de Moçambique, tiveram de receber assistência médica na segunda-feira, após se sentirem mal, apresentando sinais de intoxicação, noticiou a televisão privada STV.


Segundo a mesma fonte, entre os trabalhadores que foram assistidos no Hospital Provincial da Matola incluem-se 12 grávidas, que foram observadas na maternidade do Hospital Provincial da Matola.


A estação de televisão mostrou imagens de trabalhadores uniformizados sentados nos bancos daquele estabelecimento hospitalar, à espera de atendimento médico.


Desmaios, tosse ininterrupta, dificuldades na respiração, tonturas, dores de cabeça e rouquidão são os sinais com que os trabalhadores se apresentaram no Hospital Provincial da Matola.


Alfredo Langa, inspetor-chefe do Trabalho na província de Maputo, disse que a empresa já teve situações similares no passado e que as autoridades estão a averiguar as causas.

"Diligências estão a ser realizadas para perceber as razões da frequência destes desmaios nesta empresa", declarou Alfredo Langa.


Em novembro de 2018, dezenas de trabalhadores da empresa também foram parar ao hospital após se sentirem mal.


A Inspeção Nacional das Atividades Económicas de Moçambique (INAE) apontou a inalação de poeiras como causa do mal-estar.

Lusa