Mundo

Homem condenado a prisão perpétua há 20 anos nos EUA considerado inocente

Juiz do condado de DeKalb, Daren L. Adkins, mencionou provas "claras e convincentes" da inocência do homem.

Um juiz decidiu que um homem do Estado do Missouri detido há mais de 20 anos, por um duplo homicídio, estava inocente e que deve ser ou libertado ou julgado outra vez.

Ricky Kidd foi condenado por duas acusações de homicídio em primeiro grau, relativas às mortes, em fevereiro de 1996, de George Bryant e Oscar Bridges, em Kansas City. Foi então condenado a prisão perpétua.

Os registos judiciais mostram que Kidd disse às autoridades que estava com a sua namorada na altura das mortes. As testemunhas que depuseram contra ele retrataram-se mais tarde.

Na sua decisão, tomada na quarta-feira, o juiz do condado de DeKalb, Daren L. Adkins, mencionou provas "claras e convincentes" da inocência de Kidd. Adkins ordenou que o Estado libertasse Kidd, se este não for julgado outra vez dentro de 30 dias.

Um porta-voz do gabinete do procurador-geral, Eric Schmitt, adiantou que a sentença está a ser analisada.

Lusa

  • O que resta do Titanic?
    2:12