Mundo

Polícia malaia sem indícios de crime na morte de adolescente franco-irlandesa

Lim Huey Teng

Autoridades dizem que Nora Quoirin morreu na sequência de uma hemorragia interna, provocada nomeadamente por falta de alimentos.

A polícia malaia afirmou hoje que a adolescente franco-irlandesa Nora Quoirin morreu na sequência de uma hemorragia interna, provocada nomeadamente por falta de alimentos, e que não tem qualquer indício de crime.


Nora Quoirin, 15 anos, foi encontrada morta na terça-feira a cerca de 2,5 quilómetros do hotel de onde tinha desaparecido dez dias antes, no estado de Negeri Sembilan, cerca de 70 quilómetros a sul da capital da Malásia, Kuala Lumpur.


A adolescente sofreu "stress extremo" e "fome" e morreu devido a uma "hemorragia gastro-intestinal", disse aos jornalistas o comandante da polícia local, Mohamad Mat Yusop.


A morte terá ocorrido dois ou três dias depois do desaparecimento, precisou.


"De momento não há nenhuma suspeita de crime", acrescentou, afirmando basear-se nas conclusões da autópsia.


Nora Quorin, que sofria de uma deficiência mental ligeira, desapareceu na noite de 03 para 04 de agosto do hotel The Dusun, onde tinha acabado de chegar com a família, residente em Londres, para duas semanas de férias.


As buscas para a encontrar prolongaram-se por dez dias e envolveram cerca de 350 polícias, bombeiros, mergulhadores e voluntários, apoiados por helicópteros.


O corpo foi descoberto, despido, por voluntários, numa zona onde já tinham sido feitas buscas.
"Não há qualquer indício de que tenha sido violada", disse também o comandante da polícia.

Lusa