Mundo

Arqueólogos descobrem no Peru o maior sacrifício de crianças

Descoberta acontece um ano depois de ser encontrada uma vala com mais de 140 corpos de crianças sacrificadas.

Uma equipa de arqueólogos descobriu 227 corpos, no Peru, naquilo que se acredita ser um dos maiores sacrifícios em massa de crianças, na história da humanidade.

Com idades entre os cinco e os 14 anos, as vítimas foram encontradas perto da cidade de Huanchaco e os especialistas acreditam que morreram há mais de 500 anos.

Em entrevista à agência France-Press, a equipa responsável pela descoberta disse que alguns dos corpos ainda tinham cabelo e pele.

As crianças mostravam sinais de terem sido mortas durante uma altura de chuva e foram enterradas de frente para o mar, o que pode significar um sacrifício aos deuses da civilização Chimu.

Os Chimu residiam na costa norte do Peru e eram uma das civilizações mais poderosas da região. Atingiram a proeminência entre os anos 1200 e 1400, antes de serem conquistados pelos Incas. Idolatravam um deus da lua chamado de Shi e acreditavam ser mais poderoso do que o sol.

Esta descoberta acontece apenas um ano depois de uma equipa de arqueólogos ter encontrado uma vala com mais de 140 corpos de crianças, no país. Também este sacrifício foi feito pelos Chimu e pode estar relacionado com um evento meteorológico parecido ao El Niño.