Mundo

Homem que roubou 50 dólares libertado após 36 anos na prisão

Caso aconteceu nos Estados Unidos da América.

Um juiz do Alabama ordenou a libertação de um homem que, na década de 80, foi condenado a prisão perpétua por ter roubado 50.75 dólares (46.21 euros) de uma pastelaria.

Em 1983, Alvin Kennard roubou uma pastelaria com recurso a uma faca. Apesar de ninguém ter saído ferido, o homem foi condenado a uma pena de prisão perpétua sem possibilidade de sair em liberdade condicional.

Segundo a BBC, Alvin recebeu uma pena pesada sob as leis introduzidas no país para deter reincidentes. Anteriormente, o homem já tinha assumido a culpa por um assalto, o que queria dizer que tinha infringido a lei "Three Strikes".

Em 1977, o Alabama aprovou esta lei, que ditava a prisão perpétua, sem condicional, para aqueles que tivessem cometido três ou mais crimes, ou se algum destes fosse casificado como um crime de categoria A.

Desde então, a lei mudou e a advogada de Alvin conseguiu pedir a liberdade condicional. Citada pela emissora britânica, Carla Crowder revelou que o homem tinha ficado "maravilhado com a oportunidade".

No tribunal, o homem de 58 anos confessou ao juiz que tinha assumido a responsabilidade por todas as suas ações. A decisão do juiz do Alabama emocionou a família e amigos do homem e, em entrevista, uma das sobrinhas confessou que "todos choraram".

Alvin quer agora voltar para junto da família e retomar o antigo trabalho de carpinteiro.

  • Entregues à sorte (Episódio I)
    Grande Reportagem

    Grande Reportagem

    No Jornal da Noite

    Durante 50 anos a base das Lajes foi o cais de embarque de muitas crianças açorianas dadas pelos pais biológicos a casais norte-americanos colocados na ilha Terceira. Nascidos em famílias pobres e/ou numerosas, sem meios para sustentar mais uma boca, mais um corpo para vestir e calçar, os filhos mais novos eram geralmente os sacrificados.

    Hoje, no Jornal da Noite

    Amélia Moura Ramos