Mundo

Reconhecimento facial do Facebook passa a depender do consentimento dos utilizadores

SOPA Images

Até agora, assumia-se que os utilizadores da rede social queriam utilizar a ferramenta de reconhecimento facial para identificar outros utilizadores nas suas fotografias e vídeos, mas isso vai mudar

O Facebook dispunha até agora de uma ferramenta de reconhecimento facial que permitia aos utilizadores identificar automaticamente outros utilizadores em fotografias, mas anunciou que vai desativar essa ferramenta, tendo os utilizadores de acioná-la caso a queiram usar.

Aos utilizadores da rede social que tenham essa ferramenta ativado será, em breve, enviada uma notificação para que deem, ou não, o seu consentimento sobre a recolha de dados biométricos. “Não partilhamos informações relacionado com o reconhecimento facial com terceiros. Também não vendemos a nossa tecnologia”, informou a empresa num comunicado divulgado a 3 de setembro e citado pelo “Quartz”.

A ferramenta de reconhecimento facial é habitualmente usada para identificar pessoas nas fotografias e vídeos, disponibilizando automaticamente aos utilizadores os nomes dos amigos que aparecem nessas imagens. Foi implementada em 2017, mas não sem alguns problemas. Em 2018, a empresa foi processado por ter recolhido informação biométrica de três utilizadores sem o seu consentimento, no estado do Illinois.