Mundo

Passagem do tufão Lingling faz um morto e cancela mais de 300 voos em Seul

Jon Chol Jin

Lingling foi o tufão mais forte a atingir a península desde Bolaven, que em 2012 provocou 15 mortos na Coreia do Sul.

A passagem do tufão Lingling provocou a morte de, pelo menos, uma pessoa e levou ao cancelamento de cerca de 300 voos nacionais e internacionais em Seul, Coreia do Sul, noticia este sábado a agência Yonhap.

Lingling, o 13.º tufão da época no Pacífico, já havia tocado terra na província norte-coreana de Hwanghae do Sul pelas 16:00 locais (07:00 em Portugal), segundo informou a Administração Meteorológica da Coreia (KMA).

De acordo com a KMA, o tufão, que já perdeu alguma força, mas cuja intensidade é qualificada ainda de "potente", arrasta ventos de 120 quilómetros por hora, deslocando-se em direção noroeste a cerca de 50 quilómetros hora.

Uma mulher com cerca de 70 anos morreu na localidade de Boryeong (a 130 quilómetros de Seul) devido a um ferimento na cabeça provocado por ter sido arrastada pelos ventos de mais de 140 quilómetros hora.

As autoridades locais informaram também que centenas de árvores foram derrubadas devido ao tufão em vários municípios na costa ocidental sul-coreana.

Mais de 300 voos foram cancelados em todo o país, incluindo 150 voos internacionais com saída e destino no aeroporto de Incheon, o principal da capital sul-coreana.

Espera-se que o Lingling vá perdendo força com a passagem das horas, conforme se desloca para a fronteira entre a Coreia do Norte e a China.

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, presidiu na sexta-feira a uma reunião de emergência perante a chegada iminente do tufão para coordenar preparativos com o exército de forma a mitigar os efeitos da passagem do tufão, segundo informou a propaganda do regime.

Lingling foi o tufão mais forte a atingir a península desde Bolaven, que em 2012 provocou 15 mortos na Coreia do Sul e danos no valor de mais de 500 milhões de dólares.

Lusa