Mundo

"Eu tenho asma. Não façam isso, vão sufocar-me"

Handout .

O corpo de Khashoggi não foi recuperado e o reino saudita permaneceu em silêncio sobre o seu paradeiro.

O jornal turco “Daily Sabah” publicou a transcrição de um alegado áudio do assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, que ocorreu em outubro do ano transato, dentro do consulado da Arábia Saudita, em Istambul.

"Eu tenho asma. Não faça isso, você vai-me sufocar." Estas foram as últimas palavras registadas do jornalista Khashoggi antes da sua morte.

A Organização das Nações Unidas (ONU) conduziu uma investigação independente sobre o assassinato de Jamal Khashoggi. Agnes Callamard, perita francesa em direitos humanos e relatora especial para execuções extrajudiciais, disse no mês passado que o Estado da Arábia Saudita foi responsável pelo assassinato.

O relatório também encontrou "evidências confiáveis" que ligam o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman ao assassinato do jornalista.

As gravações, que ocorreram antes da sua morte, revelam em detalhe os planos e preparativos feitos entre o Consulado Saudita, em Istambul, e o Governo de Riade.

O diálogo ocorre entre o jornalista saudita e o esquadrão que o matou. Na gravação também é possível ouvir-se um médico, minutos antes da entrada de Khashoggi.

O jornalista saudita foi morto e desmembrado a 2 de outubro de 2018.