Mundo

Estudantes universitários russos registam patente de "caçador" de lixo espacial

Uma representação do K2-18b e da sua estrela, partilhada pela Agência Espacial Europeia

ESA/Hubble, M. Kornmesser / HANDOUT

Toneladas de detritos espaciais ameaçam os sistemas de comunicação por satélite.

Estudantes universitários russos registaram a patente de um sistema capaz de retirar lixo espacial da órbita terrestre, informou esta quinta-feira o Ministério da Educação e Ciência da Rússia.

O sistema, composto por vários módulos, foi concebido por alunos da Universidade Técnica Estatal de Moscovo e permite extrair da órbita da Terra lixo como fragmentos de naves e satélites.

O invento, para o qual será necessário arranjar verbas para construir um protótipo, vai ser apresentado em outubro no Congresso Internacional de Astronáutica, nos Estados Unidos.

Segundo o professor de Sistemas Aeroespaciais da Universidade Técnica Estatal de Moscovo, Gueorgui Scheglov, que coordenou o grupo de estudantes, existem nos Estados Unidos projetos semelhantes patenteados, mas "menos racionais".

"Têm em particular muitos braços mecânicos e grandes cargas de acoplamento [de equipamentos] ", assinalou, citado pela agência noticiosa russa TASS.

Há duas semanas, a ONU alertou para os milhares de toneladas de detritos espaciais, fruto de 60 anos de exploração do Cosmos, que ameaçam os sistemas de comunicação por satélite e, inclusive, o estudo do espaço e a segurança dos astronautas na Estação Espacial Internacional.

Lusa

  • Sporting perde no arranque da caminhada europeia

    Liga Europa 2019/2020

    "Leões" perderam por 3-2 com o PSV, na Holanda.