Mundo

Detida lusodescendente que enganou mais de mil pessoas na Venezuela

Ivan Alvarado

No total, foram detidas nove pessoas e as autoridades procuram outras dez.

As autoridades venezuelanas desmantelaram uma organização criminosa, liderada por uma lusodescendente que foi detida, suspeita de enganar mais de mil pessoas prometendo elevados lucros em investimentos em moeda estrangeira.

O desmantelamento do grupo foi feito por funcionários da Divisão Contra a Criminalidade Organizada do Corpo de Instigações Científicas, Penais e Criminalísticas (CICPC, antiga Polícia Técnica Judiciária), na sequência de denúncias das vítimas, que inclui comerciantes, entre os quais portugueses, engenheiros e professores de Los Altos Mirandinos, a sul de Caracas.

Segundo o diretor do CICPC, Douglas Rico, o sistema fraudulento teria sido idealizado pela lusodescendente que, junto de amigos e familiares, oferecia "a possibilidade de investir dinheiro, em moeda estrangeira, sob a falsa promessa de que num período de tempo de 21 dias veria o investimento duplicado".

"Uma vez passado este tempo, não cumpria com o combinado. Estima-se que o valor da fraude seja superior a um milhão de dólares norte-americanos (cerca de 900 mil euros)", explicou Douglas Rico durante uma conferência de imprensa em Caracas, capital da Venezuela.

Diversas fontes confirmaram à agência Lusa que entre os detidos encontram-se quatro luso venezuelanos, sendo que entre as pessoas procuradas pelas autoridades há, também, um lusodescendente.

Lusa