Mundo

Mais de 550 pessoas detidas no Equador em protestos contra o aumento dos combustíveis 

Daniel Tapia

Manifestantes e polícia estiveram envolvidos em confrontos perto da Assembleia Nacional.

As forças de segurança usaram gás lacrimogéneo para dispersar as pessoas durante o protesto. O presidente Lenin Moreno já declarou estado de emergência e, por questões de segurança, transferiu a sede do Governo da capital para uma cidade costeira.

O Governo equatoriano também já se mostrou disponível para aceitar a mediação externa.

Há cerca de uma semana que milhares de pessoas estão nas ruas em protestos.

Em causa está o aumento do preço dos combustíveis em mais de 120%.