Mundo

Movimento "Extinction Rebellion" quer parar aeroporto de Londres durante 3 dias

ANDY RAIN

Protesto tem início marcado para esta quinta-feira.

Ativistas do movimento ecologista "Extinction Rebellion", que na segunda-feira iniciaram protestos pelo mundo inteiro, anunciaram que vão bloquear o aeroporto "London City", na capital inglesa, durante três dias e pacificamente.

A partir das 09:00 de quinta-feira (mesma hora em Lisboa) os ativistas pretendem iniciar a ocupação do terminal sentando-se, deitando-se ou amarrando-se junto das entradas e saídas do edifício.

"Já se registaram centenas de participantes para fazer uma barreira com os seus corpos e bloquear o aeroporto, sacrificando a sua liberdade com esse objetivo", disse o movimento, que exige posições dos governos para fazer face às alterações climáticas.

Segundo a polícia de Londres, mais de 500 pessoas foram presas desde o início das ações do movimento, na segunda-feira.

Os ativistas preveem reunir-se a partir de vários locais em redor de Westminster, onde ficam os principais centros do poder britânico, para seguir para o aeroporto, estando equipados para aí permanecer três dias.

Citados pela agência de notícias France Presse, os ambientalistas dizem que se forem impedidos de concretizar as suas ações dentro do aeroporto vão bloquear os acessos, obrigando a parar autocarros, transportes ferroviários e impedindo o acesso às vias de circulação.

Os ativistas consideram a extensão do aeroporto incompatível com a crise climática e a "emergência ecológica" decretada pelo parlamento britânico, bem como com os compromissos do Governo de alcançar uma pegada de carbono neutra em 2050.

No Reino Unido, como em outros países, o movimento ecologista "Extinction Rebellion" exige que esse objetivo seja antecipado.

O aeroporto, dos cinco de Londres e o mais próximo do centro da cidade, já informou que, com o apoio da polícia, vai garantir a segurança dos passageiros e minimizar as perturbações.

Na segunda-feira o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, instou os manifestantes a abandonarem as ações e criticou-os. O pai do primeiro-ministro está do lado do movimento e hoje juntou-se a manifestantes em Trafalgar Square.

Lusa