Mundo

Ex-Presidente do Brasil indignado por investigação policial declara-se inocente

Fernando Collor de Mello (2015)

Ueslei Marcelino

Fernando Collor de Mello escreveu uma mensagem nas redes sociais onde assegura ser inocente.

O ex-Presidente e atual senador brasileiro, Fernando Collor de Mello, disse estar indignado após ter sido alvo de uma operação da polícia brasileira que investiga a sua participação num suposto esquema de branqueamento de capitais.

"Estou indignado com a tentativa de envolver o meu nome num assunto em que não tenho nenhum conhecimento ou participação. Trago a consciência tranquila e a certeza de que, mais uma vez, ficará comprovada a minha inocência", escreveu Collor numa mensagem publicada nas redes sociais.

Collor, que governou o Brasil entre 1990 e 1992, foi um dos alvos da Operação Arremate realizada hoje para investigar um esquema de branqueamento de capitais por meio da compra de imóveis.

Em comunicado, a Polícia Federal brasileira informou que as investigações têm por objetivo identificar e comprovar o alegado envolvimento dele num esquema criminoso de aquisições de imóveis em leilões judiciais durante os anos de 2010, 2011, 2012 e 2016.

Existe a suspeita de que o ex-Presidente brasileiro utilizava o nome de outras pessoas nos certames com o objetivo de ocultar a sua participação como beneficiário final das operações.

"Essas compras serviriam para ocultar e dissimular a utilização de recursos de origem ilícita, bem como viabilizar a ocultação patrimonial dos bens e convertê-los em ativos lícitos", indicou a polícia brasileira, no comunicado.

Os valores das compras sob investigação rondam os 6 milhões de reais (1,3 milhões de euros), valor ainda sem correção monetária.

Collor e outros envolvidos nesta investigação poderão responder pelos crimes de branqueamento de capitais, corrupção, peculato, falsificações e por integrar uma organização criminosa.

Lusa