Mundo

Mesmo forçados a ficar em casa os equatorianos quiseram fazer-se ouvir

Mesmo forçados a ficar em casa os equatorianos quiseram fazer-se ouvir

Protestos continuam no Equador.

Os protestos continuam no Equador, mesmo depois de ter sido decretado o recolher obrigatório na capital. Ainda assim, a situação está mais calma, depois de 10 dias de violentos protestos, que levaram à morte de cinco pessoas. Os equatorianos estão contra várias decisões do Presidente Lenín Moreno, como o aumento do preço dos combustíveis.