Mundo

A 2.ª vida da recém-nascida enterrada viva na Índia

DR RAVI KHANNA/BBC

Bebé continua a lutar pela vida num hospital do norte do país, após ser encontrada dentro de uma panela de barro a quase 1m de profundidade.

Prognóstico muito reservado

A bebé encontrada enterrada a 90 centímetros de profundidade, dentro de numa panela de barro, continua em estado crítico, com uma septicémia e níveis preocupantemente baixos de plaquetas que não deixam os médicos sossegados.

À BBC o pediatra Ravi Khanna confirmou que o quadro clínico é muito grave e a bebé continua a lutar pela vida:

"Há possibilidade de sobrevivência, mas só daqui a 5 ou 7 dias é poderemos ter algumas certezas" , afirmou o pediatra Ravi Khanna à correspondente da cadeia britânica na Índia.

DR RAVI KHANNA /BBC

DR RAVI KHANNA /BBC

Os bebés também encolhem

Ninguém sabem quanto tempo é que a bebé terá estado soterrada a quase 1 metro de profundidade numa vala rasa no distrito de Uttar Pradesh.

Nem mesmo a comunidade médica tem certezas, mas um dos médicos arrisca entre 3 a 4 dias de baixo de terra, a avaliar pelo estado em que a bebé chegou ao hospital.

“A bebé só está viva graças a uma camada de gordura com que nascem todos os bebés no abdómen, nas coxas e nas bochechas e que lhes permite sobreviver por algum tempo. Esta bebé esgotou todas essas reservas, como podem ver até encolheu”, explicou o dr. Khanna

Os médicos não têm dúvidas que a bebé só está viva graças à camada de gordura que naturalmente reveste os recém-nascidos, que os protege do meio húmido dentro do útero, durante o trabalho e de parto e, após o nascimento, das diferenças de temperatura e contra as infeções ligeiras a que possa estar sujeito nos primeiros dias de vida. Bebé esgotou todas estas defesas.

“Ela continua na unidade de cuidados intensivos em estado crítico. Está a ser alimentada por um tubo e a contagem de plaquetas caiu para 10.000, quando o normal é entre 150.000 a 450.000. Estamos, por isso, preocupados com a infeção no sangue (septicémia). ", reconheceu o médico o pediatra Ravi Khanna esta 3.ª feira.

ANOOP KUMAR MISHRA/BBC

ANOOP KUMAR MISHRA/BBC

"Bebé-milagre" já terá uma semana de vida

Um outro especialista ouvido pela BBC Índia não é tão otimista. Dr Saurabh Anjan acredita que a bebé não terá estado mais do que 2 a 3 horas debaixo de terra e que ainda poderia sobreviver a mais umas 2 ou 3 horas soterrada.

"Creio que teria uma semana de vida quando foi trazida para o hospital. Seria um bebé prematuro, provavelmente nasceu com 30 semanas e com pouco peso. Apenas 1.1 Kg o que é naturalmente um peso muito baixo", confirmou o medico.

O quadro clínico era tão sensível que a bebé acabou para ter de ser transferida para um outro hospital central no domingo, em hipoglicémia e hipotermia.

"Chegou muito pequena e fraca, com temperatura corporal abaixo do normal. Colocámo-la a oxigénio e na incubadora”, confirmou o pediatra-chefe onde a bebé está internada.

Terá ajudado o facto de ter sido enterrada viva dentro de uma panela de barro num terreno solto, que terá permitido pequenas bolsas de ar que deixaram passar o exigénio necessário à sobrevivência

ANOOP KUMAR MISHRA/ BBC

ANOOP KUMAR MISHRA/ BBC

Inquérito-crime contra pessoa desconhecida

A polícia já abriu um inquérito-crime contra "pessoa desconhecida" e confirma que continua à procura dos pais da bebé, no país com o pior rácio entre homens e mulheres do mundo.

As raparigas continuam a ser vistas como um fardo económico e as mulheres são discriminadas em especial entre as comunidades mais pobres.

Um oficial da polícia do distrito de Bareilly onde a bebé foi encontrada confirmou à BBC que as suspeitas apontam para o envolvimento dos pais da bebé, até porque, "apesar do aparato mediático e do eco que a notícia teve no país e no mundo, ainda ninguém se chegou à frente ou veio reclamar a bebé".

A recém-nascida foi acidentalmente encontrada numa vala rasa na região de Uttar Pradesh, no norte da Índia, por um pai que enterrava a própria filha que tinha morrido pouco depois do parto.