Mundo

"Se encontrar algum, mate-o e congele-o": o alerta dos EUA para evitar propagação de peixe predador voraz

U.S. Geological Survey

Terá servido de inspiração a dois filmes de terror e ficção científica, mas já é uma ameaça real em 15 estados norte-americanos.

Stringer .

O último alerta para o peixe cabeça-de-cobra nos EUA foi emitido na semana passada pelo Departamento de Recursos Naturais da Geórgia, entre os 15 estados norte-americanos onde já foi emitido o alerta para este predador voraz que ameaça o meio selvagem.

Mas desta vez o pedido das autoridades da Geórgia vem com um requisito especial a quem encontre um espécime destes: 1.º que o mate, tire fotografias o mais pormenorizadas possível, anote a localização do local onde foi encontrado e congele o peixe.

Isto para permitir que os especialistas possam estudar a espécie e mapear a sua disseminação, para tentar controlar a reprodução.

Isto porque este peixe come tudo o que apanha à frente: peixes, rãs e pequenos lagartos e cresce até perto de um metro. Isto para além da rara capacidade de sobreviver fora de água durante dias, arrastando-se aos saltos até outros cursos de água, com capacidade extraordinária de se reproduzir.

Gary Cameron

O alerta da Geórgia surgiu assim que o 1.º peixe cabeça-de-cobra foi descoberto no estado, onde até aqui nunca tinha sido visto.

Na verdade, o peixe cabeça-de-cobra nem sequer é deste continente. É originário da China, Rússia e da península da Coreia.

As autoridades admitem que este peixe predador voraz tenha sido trazido para os EUA como peixe ornamental ou em tanques da indústria pesqueira, mas acabou por galgar todas as barreira, tornando-se crescente ameaça à flora e fauna locais.

O peixe que terá servido de inspiração aos filmes Snakehead Terror e SnakeHead Swamp tem capacidades que a maior dos outros peixes não tem. Desde logo, consegue sobreviver fora da água através de pequenas bolsas que funcionam quase como pulmões nas brânquias, que lhes permite armazenar oxigênio, mesmo em águas rasas com poucas quantidades de oxigénio.

Hyungwon Kang

Isto dá-lhe vantagem competitiva em relação à esmagadora maioria das espécies aquáticas, como trutas e robalos, que precisam de mais oxigênio e não conseguem sobreviver fora de água. Isto para além do apetite voraz dos cabeças-de-cobra que comem tudo o que apanham à frente, atingindo um tamanho muito considerável para um peixe de água doce.

O 1.º peixe cabeça-de-cobra foi detetado nos EUA em 2002, no estado de Maryland, onde um lago teve de ser drenado e três lagoas adjacentes intervencionadas, só para controlar a propagação em em Crofton.

Desde então já foram encontrados exemplares na Flórida, Nova Iorque, Virgínia, Califórnia, Massachusetts, Maryland, agora na Geórgia e até no Canadá.

As autoridades norte-americanas querem que a população tenha noção do perigo que a espécie representa pela velocidade com que se propaga, cresce e multiplica