Mundo

Sangue de 47 mil porcos mancha rio de vermelho na Coreia do Sul

Twitter @koryodynasty

A operação de abate realizou-se no fim de semana.

As autoridades sul-coreanas selecionaram e mataram cerca de 47 mil porcos na tentativa de impedir a propagação da peste suína africana e, com as chuvas fortes, o sangue destes animais fluiu para o rio Imjin e manchou-o de vermelho, segundo a BBC.

A peste suína africana é altamente contagiosa e incurável, com uma taxa de sobrevivência quase nula para porcos infetados, mas não é perigosa para os seres humanos.

As autoridades locais descartaram as preocupações de que o sangue possa causar a propagação da peste suína africana a outros animais em risco, uma vez que os porcos já tinham sido desinfetados antes de serem abatidos.

A operação de abate, responsável pela propagação do sangue no rio, foi realizada no fim de semana.

O primeiro caso de peste suína foi diagnosticado na Coreia do Norte, em maio, e a Coreia do Sul fez grandes esforços para mantê-la fora do seu território, incluindo a colocação de cercas na fronteira. As forças armadas sul-coreanas foram autorizadas a matar qualquer porco visto a atravessar a zona.

Apesar das precauções, a Coreia do Sul registou o primeiro caso a 17 de setembro - até agora registou-se um total de 13 animais infetados.

Grande parte da Ásia foi afetada pelo surto, incluindo China, Vietname e Filipinas. Cerca de 1,2 milhões de porcos foram abatidos apenas na China.