Mundo

Polícia dispersa manifestantes com canhões de água no Chile

Alberto Valdes

Mais um dia de confrontos entre manifestantes e autoridades no Chile.

Os protestos continuam nas ruas do Chile apesar de o Governo e a oposição terem chegado a acordo para um novo referendo, com o objetivo de rever a constituição herdada da ditadura de Pinochet.

Os desacatos aconteceram depois de centenas de manifestantes se reunirem numa das principais praças da capital, levando a polícia de intervenção a usar canhões de água para dispersar a multidão.

Desde o início dos protestos, há quatro semanas, já morreram 22 pessoas e cerca de 2500 ficaram feridas. As manifestações começaram por ser contra o preço do aumento do bilhete do metro em Santiago, mas os manifestantes exigem agora medidas para acabar com as desigualdades sociais no país.

  • "Ele deu-me um soco! É uma vergonha": treinador do Belenenses SAD admite que foi agredido
    0:36