Mundo

Australiana sobrevive 12 dias no deserto com cadela que recusou deixar morrer

Tamra McBeath-Riley e a cadela Raya (polícia NT_ Território do Norte, Austrália)

Outras duas pessoas continuam desaparecidas no remoto Território do Norte australiano.

Os três amigos que desapareceram na remota região de Alice Springs, no Território do Norte, na Austrália a 23 de novembro de 2019

Os três amigos que desapareceram na remota região de Alice Springs, no Território do Norte, na Austrália a 23 de novembro de 2019

ABC Austrália

Uma tarde que durou 13 dias (pelo menos)

Três amigos, Tamra McBeath-Riley, Phu Tran e Claire Hockridge aventuraram-se no que devia ser uma tarde de passeio pelo extremo interior da Austrália a 19 de novembro. Avisaram a família e os amigos e partiram de carro, com poucos mantimentos e a cadela Staffordshire bull terrier.

Mas duas semanas depois, ainda não havia qualquer sinal dos três amigos que vivem na cidade de Alice Springs e deviam conhecer as vicissitudes da região mais remota da Austrália.

Sem qualquer árvore por perto, debaixo de temperaturas tórridas durante o dia e frio gélido durante a noite, os três amigos ficaram retidos junto ao rio Finke.

O carro atolou e os três amigos ficaram três dias a tentar desenterrar o veículo, sobrevivendo com a pouca comida e bebida que julgavam ser só para uma tarde de passeio.

“Durante o dia que era demasiado quente, escavámos um buraco debaixo do carro para termos sombra. À noite podíamos dormir dentro do carro”, confessou Tamra McBeath-Riley à saída do hospital, após ser resgatada pelas autoridades australianas 13 dias depois de ter partido para uma tarde de passeio.

O deserto sul de Alice Springs onde os 3 amigos desapareceram

O deserto sul de Alice Springs onde os 3 amigos desapareceram

Tim Wimborne

Após consumirem todos alimentos e bebidas que traziam no carro, dois dos amigos resolveram partir para pedir ajuda. Levaram um GPS, alguma água e deixaram um recado no carro, sobre a direção que tinham tomado.

Apenas Tamra McBeath-Riley ficou para trás, com a cadela Raya, que a dona temeu que não aguentasse a longa caminha por ajuda.

Tamra McBeath-Riley e a cadela Raya (polícia NT_ Território do Norte, Austrália)

Tamra McBeath-Riley e a cadela Raya (polícia NT_ Território do Norte, Austrália)

"Achávamos que ninguém andava à nossa procura”, confessou Tamra, de 52 anos que permaneceu com a cadela, sozinha, sem água, nem praticamente comida.

Segundo o paramédico que a resgatou após 12 dias no deserto, Tamra sobreviveu graças a um buraco que escavou na terra e de onde conseguiu retirar água que consegiiu ferver para beber.

Foi encontrada ao 13.º dia a pouco mais de quilómetro e meio do carro e a cerca de 88 km da cidade de Alice Springs, com a cadela Raya, que a aqueceu nas noites frias e acabou por ser o que a salvou do deserto australiano.

Os amigos que deveriam ter regressado com ajuda, continuam desaparecidos e a polícia só encontrou Tamra graças aos rodados do carro, avistados por helicóptero na remota zona onde é demasiado fácil perder o rasto do resto do mundo.

Os pés de McBeath-Riley à saída do hospital de Alice Springs, após ser resgatada ao 13.º dia na região mais remota da Austrália

Os pés de McBeath-Riley à saída do hospital de Alice Springs, após ser resgatada ao 13.º dia na região mais remota da Austrália

ABC Austrália