Mundo

Pescador ficou preso durante três dias numa ilha devido às cheias no Quénia

BBC

Homem já foi salvo por uma equipa de busca de salvamento.

Um pescador do Quénia foi esta segunda-feira salvo de uma ilha onde estava preso desde sexta-feira, devido às cheias que afetaram o país.

Vincent Musila tinha ido pescar num rio perto da cidade de Rhika, no centro do Quénia, quando as margens desapareceram com o aumento do nível da água. Durante três dias, a população local ficou a ver o pescador enquanto esperava pelo salvamento.

Segundo a BBC, Vincent revelou que a água subiu "de repente", enquanto ele pescava numa zona de terra no meio do rio.

"Em apenas alguns segundos, a água estava por todo o lado e eu não conseguia passar para o outro lado. Os últimos três dias preso na ilha foram terríveis, com o frio e a chuva. Estava cheio de fome e passei por muito. Havia muitos mosquitos e estava com medo de animais como crocodilos ou hipopótamos. Mas fiquei tão feliz. Sinto como se tivesse renascido."

A população celebrou assim que o helicóptero conseguiu salvar o pescador, que foi logo levado para um restaurante para comer pela primeira vez em três dias.

Cheias no Quénia fazem mais de 100 mortos

Pelo menos 120 pessoas morreram e mais de 18 mil estavam desaparecidas na sequência das cheias que atingiram o norte do país.