Mundo

Dois sindicalistas afetos ao regime de Maduro impedidos de entrar na Argentina

Segundo a imprensa local, os sindicalistas Wills Rangel e Jacobo Torres tinham sido convidados a participar num encontro da Central de Trabalhadores da Argentina.

As autoridades de emigração da Argentina impediram esta segunda-feira a entrada no país de dois sindicalistas venezuelanos, afetos ao regime do Presidente Nicolás Maduro.

Segundo a imprensa local, os sindicalistas Wills Rangel e Jacobo Torres tinham sido convidados a participar num encontro da Central de Trabalhadores da Argentina (CTA Autónoma), mas foram expulsos do país por aparecerem numa listagem de funcionários e pessoas afetas ao regime venezuelano.

Em comunicado, a CTA Autónoma, uma das principais centrais sindicais da Argentina, condena a deportação dos sindicalistas que convidados para um encontro em Buenos Aires.

"Desde a CTA Autónoma condenamos energicamente a atitude antidemocrática do Governo de Maurício Macri de deter e depois não permitir a entrada no país, sem causa nem explicação, alguns companheiros venezuelanos, Wills Rangel e Jacobo Torres, da Central Bolivariana Socialista de Trabalhadores", explica a organização sindical.

Em declarações aos jornalistas, o secretário geral adjunto da CTA Autónoma, Hugo Godoy, acusou o governo da Argentina de ser cúmplice no "boicote que dos EUA contra a Venezuela".

Lusa