Mundo

Paramédico paquistanês leva bebé do hospital para "dar à tia sem filhos"

Arquivo

Siegfried Modola

Colegas participaram no esquema.

Um paramédico no Paquistão, cuja identidade não foi revelada, foi detido por ter retirado um recém-nascido dos pais para dar à sua tia que está casada há 17 anos e não consegue ter filhos.

Segundo as autoridades, a mulher foi levada para o hospital de Loralai pelo cunhado Abdul Hamid. Inicialmente, a família não tinha conhecimento do desaparecimento da recém-nascida pois nenhum médico revelou que a mulher tinha dado à luz gémeos. Após o parto, ele disse que recebeu uma bebé e que levou Jamila Bibi para casa, tal como foi pedido pelos médicos.

No entanto, a mulher foi para casa num estado semiconsciente, que se prolongou por alguns dias, período durante o qual uma das gémeas faleceu. Quando Jamila recuperou a consciência, revelou algo que deixou a família em choque.

"Na sexta-feira, quando Bibi recuperou os sentidos, ela perguntou onde estava a outra filha. Ficamos surpresos", disse Abdul Hamid à BBC.

A família reportou às autoridades locais o desaparecimento da outra gémea que Jamila Bibi tinha dado à luz. Depois de investigarem as pessoas presentes na sala de parto, prenderam o paramédico que levou a polícia ao local onde tinha deixado a bebé. Segundo a chefe adjunta da esquadra de Loralai, Jahangir Shah, o esquema para levar uma das gémeas foi montado com a colaboração de dois colegas.

Entretanto, a gémea que tinha sido entregue à tia do suspeito está com a família biológica. Este incidente veio levantar muitas dúvidas sobre os procedimentos de segurança nos hospitais do Paquistão, que não possuem de nenhum sistema de identificação.