Mundo

Marcha pelo fim da violência contra as mulheres em Maputo

Jovens moçambicanas manifestam-se contra a violência a 21 de setembro de 2019, em Maputo.

António Silva

São esperadas cerca de 400 pessoas hoje na capital moçambicana.

Cerca de 400 pessoas são esperadas hoje numa marcha pelo fim da violência contra as mulheres e raparigas a decorrer em Maputo, capital de Moçambique.

A iniciativa representa o final de um programa de atividades intitulado "16 dias de ativismo pelo fim da violência", que decorreu desde 25 de novembro, com debates, organizado pelo Fórum Mulher -- Coordenação Para a Mulher no Desenvolvimento.

A marcha parte da estátua de Eduardo Mondlane, no centro de Maputo, pelas 15:00 locais (menos duas horas em Lisboa) e percorre algumas artérias da capital até à Praça da Paz.

Dados oficiais indicam que, em 2018, Moçambique registou cerca de 25 mil casos de violência doméstica, dos quais 12 mil foram contra mulheres.

Por outro lado, estima-se que metade das mulheres com idades entre os 20 e 24 anos de idade se tenham casado quando eram menores - 14% das quais antes dos 15 anos, segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

A luta contra os casamentos precoces e a violência doméstica têm motivado campanhas e ações públicas reunindo diversas figuras públicas moçambicanas, com vista a promover a emancipação da mulher.