Mundo

Militares portugueses na República Centro-Africana distribuem vestidos e bolas de futebol a crianças

A iniciativa da Força Nacional Destacada decorreu numa escola.

Os militares portugueses destacados na República Centro-Africana desenvolveram ações de solidariedade nas quais distribuíram a várias crianças vestidos feitos de forma artesanal e bolas de futebol oferecidas pelo Comité Olímpico nacional, anunciou hoje o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

Em comunicado, o EMGFA aponta que uma das ações decorreu no bairro de Sapéké, junto de jovens vítimas das recentes cheias provocadas pelo rio Ubangui, que "deixaram várias famílias desalojadas e agravou as condições sanitárias da região".

No final de outubro, a Cruz Vermelha estimava que cerca de 28 mil pessoas ficaram desalojadas na República Centro-Africana após a maior inundação dos últimos 20 anos.

O Governo local classificou como "um grande desastre natural" as inundações, que foram uma combinação das chuvas que caíram sem parar durante uma semana e a inundação do rio Ubangui e dos seus afluentes, que transbordaram pela última vez há uma década.

A segunda ação da 6.ª Força Nacional Destacada decorreu numa escola, onde foram distribuídos vestidos e bolas a crianças de várias idades, tendo decorrido inclusivamente "um jogo de futebol e basquetebol entre os militares portugueses e as seleções do bairro".

De acordo com o EMGFA, as bolas de futebol foram oferecidas às crianças da República Centro-Africana pelo Comité Olímpico de Portugal, e os vestidos foram confecionados de forma artesanal pela organização não-governamental portuguesa 'Dress a Girl'.

"Em paralelo com estas ações solidárias, os militares portugueses participaram em jogos e outras brincadeiras com as crianças locais, multiplicando sorrisos e fazendo, por momentos, esquecerem as dificuldades do dia a dia", remata o comunicado enviado hoje às redações.Portugal está presente neste que é um dos países mais pobres do mundo desde o início de 2017, no quadro da MINUSCA (missão da ONU naquele país).

  • Palavras-chave: o novo coronavírus da China
    2:50