Mundo

ONU pede inquérito sobre "uso excessivo da força" no Líbano

Hussein Malla

Esta manhã as autoridades lançaram gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes que tentavam invadir uma das principais praças da cidade de Sidon durante mais um dia de protestos contra o Governo e o sistema político do país acusado de corrupção.

Os confrontos começaram depois de um grupo de jovens xiitas, de cara tapada, ter tentado atear fogo às tendas dos manifestantes que estão acampados na praça há várias semanas.

O ataque terá sido em resposta a um vídeo que alegadamente ofendia figuras xiitas.

"O que estão aqui a ver é a revolta dos manifestantes"

Esta terça-feira o coordenador especial da ONU para o Líbano, Jan Kubis, defendeu hoje um inquérito sobre "o uso excessivo da força" na repressão dos protestos no país, após um fim de semana de confrontos entre manifestantes e forças de segurança.

O país conhece desde há dois meses um movimento de contestação inédito contra a classe política, que na generalidade tem decorrido sem incidentes. No entanto, assumiu formas mais violentas nos dois últimos dias, com um balanço de várias dezenas e feridos entre os manifestantes e os polícias.