Mundo

Chinesa morre depois de sobreviver vários anos com apenas 26 cêntimos por dia

Feng Video

O caso de Wu Huayan chocou a China.

O assunto da pobreza extrema na China voltou a dar que falar, depois da morte de uma jovem de 24 anos, que sobreviveu durante vários anos com apenas dois renminbis (26 cêntimos) por dia, para ajudar o irmão.

Wu Huayan chocou o país quando, no ano passado, surgiu numa reportagem televisiva com apenas 20 quilos. Segundo a BBC, na altura, a jovem tinha sido admitida no hospital com problemas respiratórios e recorreu aos media locais para conseguir ajuda.

Os médicos disseram que a estudante universitária sofria de problemas no coração e nos rins, causados por uma alimentação deficiente durante vários anos.

"Não quero esperar pela morte por causa da pobreza", disse a jovem na altura.

A história de Wu Huayan correu o país e as doações começaram a chegar, mas o irmão confirmou aos media chineses que Wu Huayan morreu esta segunda-feira, aos 24 anos.

A história dos irmãos

Wu Huayan e o irmão perderam os pais quando ainda eram crianças. Depois dos avós morrerem, os irmãos foram ajudados pelos tios, que podiam dar apenas 300 renminbis (cerca de 39 euros) por mês.

A maior parte do dinheiro era direcionado para as contas médicas do irmão mais novo, que tem problemas de saúde.

Wu Huayan ficava apenas com dois renminbis por dia, sobrevivendo durante cinco anos à base de arroz. Quando chegou ao hospital, a jovem media apenas 1,35 metros.

O caso gerou uma onda de indignação na China, com a população a acusar o Governo de não ajudar os mais pobres. O Presidente Xi Jinping prometeu erradicar a pobreza no país até 2020.

Antes da morte, as autoridades estatais emitiram um comunicado a esclarecer que a jovem recebia o subsídio mínimo do Governo, entre 300 a 700 renminbis (de 39 a 90 euros), mas que os irmãos iam passar a ter um subsídio de emergência de 20 mil renminbis (mais de 2.600 euros).