Mundo

NASA alerta que fumo dos incêndios na Austrália vai dar "uma volta completa" à Terra

NASA EARTH OBSERVATORY HANDOUT

Incêndios na Austrália já emitiram CO2 equivalente a 2/3 de 2018.

A NASA alerta que o fumo dos incêndios na Austrália deverá fazer pelo menos "uma volta completa" à terra, o que vai afetar a qualidade do ar de outros países.

O alerta da agência espacial norte-americana surge após uma análise, através de satélites, aos fumos e aerossóis provenientes dos incêndios que estão a atingir a Austrália desde setembro do ano passado.

Segundo a CNN, os resultados de dezembro mostram que o fumo viajou "metade da Terra" e afetou a qualidade do ar de outros países.

Na passada semana, por exemplo, o Chile e a Argentina foram atingidos por uma nuvem de fumo, proveniente dos fogos na Austrália.

Antes de chegar à América do Sul, o fumo atingiu a Nova Zelândia, afetando "gravemente a qualidade de ar" e mudando até a cor dos glaciares do país. O fumo deu aos glaciares habitualmente brancos um tom caramelo.

O fumo e a má qualidade do ar obrigaram esta terça-feira a suspender temporariamente as sessões de treino no Open da Austrália de ténis, em Melbourne Park.

Os incêndios emitiram, até agora, 349 milhões de toneladas de dióxido de carbono para a atmosfera, cerca de dois terços do total do país em 2018, segundo a plataforma 'Jornalistas pelo Planeta'.

Risco de incêndios na Austrália vai continuar pelo menos até abril

Desde que começaram, no passado mês de setembro, os incêndios na Austrália devastaram uma área de mais de oito milhões de hectares, o equivalente à área da Irlanda, provocaram a morte a 28 pessoas e estima-se que tenham matado até mil milhões de animais selvagens.