Mundo

Descoberta vala comum com duas dezenas de corpos na Costa do Marfim

Localidade onde foram encontrados os corpos foi palco de confrontos violentos, durante a revolta de 2002.

Uma vala comum com duas dezenas de corpos foi descoberta no passado dia 13 em Man, oeste da Costa do Marfim, teatro de confrontos intensos durante a crise de 2002.

Os esqueletos foram descobertos quando se efetuavam trabalhos de alisamento de terras numa estrada junto a uma escola recentemente construída na cidade. A vala comum contém uma vintena de corpos, de acordo com um comunicado do procurador Counta Nafissiatou, citado pela agência France-Presse.

Man foi palco de confrontos violentos, durante a revolta de 2002, entre os grupos armados MJP, MPIGO e MPCI, que se transformariam nas Novas Forças, por um lado, e as forças armadas regulares, leais ao Presidente Laurent Gbagbo.

No final de 2002, o Movimento para a Justiça e para a Paz (MJP), reforçado por mercenários da Serra Leoa e da Libéria tomou o controlo da cidade, antes de ser rechaçado dias mais tarde. Ambos os lados são acusados de inúmeras exações durante esse período e várias valas comuns têm vindo a ser descobertas na região. Em 2002, uma rebelião do norte, dirigida por Guillaume Soro, tentou tomar o controlo do país e afastar o Presidente Gbagbo.

O país ficou então dividido em dois, o sul sob o controlo de Gbagbo e o norte nas mãos das Forças Novas. Esta crise fez milhares de mortos apenas chegou ao fim em 2010-2011, também de forma sangrenta, com a recusa de Gbagbo em reconhecer a derrota eleitoral e a chegada ao poder de Alassane Ouatarra, eleito em 2010 com o apoio da rebelião.