Mundo

Talibãs propõem cessar-fogo temporário com EUA e com Afeganistão

Mohammad Ismail

Anúncio feito pelo Governo paquistanês, que está a mediar o conflito.

Os talibãs afegãos enviaram aos EUA uma proposta de cessar-fogo temporário, após duas décadas de conflito, anunciou esta quinta-feira o Governo paquistanês.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Paquistão, Mahmood Qureshi, que tem mediado o conflito, disse hoje que os talibãs afegãos se dispuseram a reduzir os níveis de violência e a encetar um cessar-fogo temporário.

"Os talibãs estão prontos para um cessar-fogo temporário, de sete a 10 dias. Será um cessar-fogo com os EUA e com o Governo afegão", explicou Qureshi, num vídeo hoje divulgado pelo seu Ministério.

Os talibãs estão em conflito com os Estados Unidos e com o Governo afegão há duas décadas, após os norte-americanos terem invadido aquele país do Médio Oriente e derrubado os fundamentalistas islâmicos do poder.

Após vários anos de negociações, o Presidente dos EUA, Donald Trump, abandonou as negociações, em setembro, quando o anúncio de paz parecia iminente, depois de um soldado norte-americano ter sido morto em Cabul. As conversações foram retomadas em dezembro, no Qatar, mas sem a participação do Governo afegão, que Washington decidiu excluir do processo de paz, esperando obter um acordo diretamente com os rebeldes talibãs.

Hoje, o Governo paquistanês, que se tem envolvido nas negociações, em nome do Governo afegão, reconheceu existir um progresso da parte dos insurgentes.

"Houve progresso. Os talibãs exprimiram a vontade de reduzir a violência. É um passo em direção a um acordo de paz", disse o chefe da diplomacia paquistanesa, que está de visita aos EUA.

"O Paquistão assumiu responsabilidades nesse sentido e está quase terminado", acrescentou Qureshi, referindo-se a um acordo de paz que considerou "muito positivo" para toda a região.