Mundo

Quinze crianças morrem num incêndio num orfanato ilegal no Haiti

Dieu Nalio Chery

As causas do incêndio e a idade das vítimas são, até ao momento, desconhecidas.

Pelo menos 15 crianças morreram na sequência de um incêndio ocorrido num orfanato ilegal numa comunidade nas imediações da capital do Haiti, Port-au-Prince, afirmou esta sexta-feira uma magistrada local, citada pelas agências internacionais.

Duas crianças morreram nas instalações do orfanato e outras 13 morreram por asfixia no hospital de Fermathe, precisou a juíza da comunidade de Kenscoff, Raymonde Jean Antoine, em declarações à agência France-Presse (AFP).

O incêndio deflagrou na noite de quinta-feira, pouco depois das 21:00 locais (02:00 de sexta-feira em Lisboa), segundo indicou a mesma fonte. O orfanato de Kenscoff, uma comunidade localizada nas imediações de Port-au-Prince, não tinha licença para funcionar desde 2013 e abrigava cerca de 66 crianças, acrescentou Raymonde Jean Antoine.

O orfanato estava localizado num prédio insalubre de dois andares, segundo constatou a AFP, que relatou ainda ter visto vários beliches amontoados - muitos deles degradados -- em pequenas divisões. A agência AFP descreveu ainda que o prédio tinha escadas muito apertadas e apenas uma porta de saída aberta.

  • DGS teve parecer positivo para uso generalizado de máscaras

    Coronavírus

    Em Portugal a Covid-19 já fez 295 mortes e 11.278 infetados. Chegou este domingo a Lisboa um avião da TAP fretado com material médico oferecido pela China no valor de 4,5 milhões de euros. 53 portugueses foram repatriados da Indonésia e da Índia. Boris Johnson foi este domingo internado no hospital para exames, 10 dias após testar positivo para coronavírus.

    SIC Notícias