Mundo

Terceiro maior partido moçambicano quer declaração de estado de guerra no Norte do país

Grant Neuenburg/ Reuters

A província de Cabo Delgado tem sido alvo de ataques de grupos armados que já afetaram mais de 156.400 pessoas.

O presidente do MDM, terceiro maior partido no país, defendeu no fim de semana que o Governo deve declarar um estado de guerra na província de Cabo Delgado, norte do país, para mobilizar ajuda contra grupos armados na região.

"É importante que o Governo declare guerra em Cabo Delgado, de modo a que as populações recebam ajuda humanitária e a comunidade internacional ajude Moçambique a combater os malfeitores", afirmou o líder do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Daviz Simango, citado hoje pelo diário O País.

De acordo com Daviz Simango, as populações dos distritos afetados pela ação de grupos armados em Cabo Delgado estão confinadas nas sedes dos distritos e vulneráveis a doenças como cólera e à fome.

"Há registos de mais de 500 mortos e de 160 mil deslocados por falta de segurança nas suas zonas de origem", assinalou o presidente do MDM.

A província de Cabo Delgado tem sido alvo de ataques de grupos armados que organizações internacionais classificam como uma ameaça terrorista e que em dois anos e meio já fez, pelo menos, 350 mortos, além de 156.400 pessoas afetadas com perda de bens ou obrigadas a abandonar casa e terras em busca de locais seguros.