Mundo

Temporal isola alunos e professores na Escola Portuguesa de Díli

(Arquivo)

Beawiharta Beawiharta

Ribeira nas imediações transbordou e obrigou alunos e professores a subirem ao primeiro andar do edifício para fugirem da subida das águas

Centenas de alunos da Escola Portuguesa de Díli foram forçados a subir para o primeiro andar do edifício principal devido a uma forte corrente de água da ribeira próxima que transbordou devido à chuva torrencial que se faz sentir na zona.

“Estamos todos no andar de cima da escola porque no andar de baixo a água está acima da cintura e continua a correr com força (..) Está muito mau isto”, disse à Lusa um dos professores da escola, referindo que estão no local alunos e professores de vários anos, desde o pré-escolar.

A ribeira de Bidau, perto da escola, transbordou as margens, com uma forte corrente a arrastar lama e pedras pelo portão da frente, na direção do cemitério de Santa Cruz.

Uma forte chuva causou cheias em vários pontos da cidade de Díli ao final da tarde, com várias ribeiras a transbordar e a afetar casas e pequenos comércios.

“A situação está muito grave em vários pontos da cidade. Uma situação a que é difícil responder agora porque continua a chover bastante”, disse à Lusa um residente.

No caso da Ribeira de Bidau, na zona leste da cidade, a força das águas terá segundo testemunhas ouvidas pela Lusa derrubado parte de uma ponte o que está a travar o curso da água que corre com grande força desde as montanhas.

“Está tudo alagado. A ribeira saltou as margens e arrasta muito água com muita força”, disse uma residente à Lusa.

Fonte da proteção civil disse à Lusa que há problemas em vários pontos da cidade, com a água a alagar edifícios, casas e a transformar algumas ruas em verdadeiros rios.

As redes sociais estão a encher-se de fotografias e vídeos que mostram os danos que estão a ser causados pela chuva.

As fortes correntes de água estão a causar um caos no trânsito de Díli, dificultar o acesso às zonas mais afetadas.

  • 2:34
  • 49:03