Mundo

O misterioso desaparecimento de Kim Jon-Un

Líder da Coreia do Norte não é visto há duas semanas em público


A ausência a 15 de abril de Kim Jon-Un nas comemorações do nascimento do avô Kim Il-sung, o fundador do regime, levantou a suspeita. Desde a visita de inspeção a uma base aérea, 11 de abril o líder norte-coreano nunca mais foi visto.

Quando na semana passada os media estatais noticiaram os testes com mísseis de curto alcance, Kim, que geralmente faz questão de estar presente, não foi fotografado.

Desertores norte-coreanos deram as primeiras pistas, ao anunciar que Kim Jong-Un tinha sido submetido a uma cirurgia cardiovascular, em consequência do tabagismo e obesidade. Também houve muita especulação na última ausência prolongada quando Kim foi operado, alegadamente a um tornozelo.

Há, no entanto, outros elementos que estão a alimentar os rumores de que poderá estar em estado muito crítico e até ter já morrido. Imagens de satélite onde se avista o comboio da família na zona balnear onde Kim Jong-Un passou parte da infância parecem corroborar a especulação de que algo anómalo aconteceu.

Em 2011, o pai Kim morreu de ataque cardíaco a bordo do comboio blindado, que só é utilizado em circunstâncias extraordinárias como a visita de Kim Jong-Un à China, ou o encontro com Donald Trump. Ocasiões solenes e em que viajar no avião particular pode representar uma ameaça à segurança do líder.

Há no entanto quem sublinhe que regime tem consciência de que é observado e já não seria a primeira vez em que tenta iludir os que o espiam. Muito aliás poderá estar em jogo.

O mistério poderá arrastar-se por algum tempo. O estado de saúde do líder norte-coreano sempre foi tratado como segredo de Estado e depois da pandemia de coronavírus o regime terá diminuído o número de pessoas com acesso a informação classificada.

Há rumores cada vez mais consistentes de que Kim Jong-Un terá morrido ontem durante uma operação ao coração ou que estará em estado vegetativo. Pyongyang está em silêncio. A irmã mais nova é apontada como sucessora.