Mundo

Blogger e jornalista chinês preso por "extorsão" e difusão de "informações falsas"

David Gray

Condenado a 15 anos de prisão e ao pagamento de quase 1 milhão de euros.

Um blogger chinês foi esta sexta-feira condenado a 15 anos de prisão pelo crime de provocação, extorsão, comércio ilegal e corrupção e por ter difundido "informações falsas".

Chen Jieren, ex-funcionário do Diário do Povo, jornal oficial do Partido Comunista Chinês, foi condenado pelo Tribunal Popular do Condado de Guiyang, na província central de Hunan, informou o tribunal.

O jornalista foi condenado "pelo crime de provocação, extorsão, comércio ilegal e corrupção", de acordo com o tribunal, que também o multou em 7 milhões de yuans (quase 1 milhão de euros).

O tribunal declarou que, desde 2015, Chen Jieren difundiu nas redes sociais "informações falsas" com o objetivo de extrair, através de chantagem, dinheiro de pessoas implicadas nos seus artigos.

Chen Jieren também "atacou e menosprezou o Partido e o Governo, o judiciário e sua equipa", afirmou o tribunal.

Em comunicado, a associação chinesa Defensores de Direitos Humanos (CHRD) pediu a Pequim que liberte imediatamente o jornalista.

De acordo com o CHRD, Chen Jieren, foi detido no verão de 2018 logo após publicar artigos acusando as autoridades locais de corrupção.