Mundo

Oito mortos e mil hospitalizados em fuga de gás numa fábrica na Índia

Zona está a ser pulverizada com água para minimizar o impacto do gás.

Pelo menos oito pessoas morreram e mais de mil foram hospitalizadas com dificuldades respiratórias e outras reações na sequência de uma fuga de gás químico hoje numa fábrica industrial no sul da Índia, anunciaram as autoridades locais.

"Pelo menos mil pessoas de zonas em torno da fuga de gás foram levadas para diferentes hospitais públicos e privados de Visakhapatnam", disse à AFP o coordenador dos hospitais do distrito, B K Naik, admitindo que o balanço possa ser mais pesado.

O administrador da região, Vinay Chand, adiantou hoje que várias pessoas desmaiaram na rua e foram levadas para hospitais em Vishakhapatnam, uma cidade no estado de Andhra Pradesh. Entre as vítimas mortais está uma menina de oito anos.

Vinte e cinco ambulâncias foram enviadas para o local para transferir os doentes para hospitais e outras pessoas para fora do local do acidente.

Vinay Chand referiu também que quase mil pessoas numa área de três quilómetros queixaram-se de dificuldades respiratórias e sensação de ardor nos olhos.

"A fuga de gás ocorreu na fábrica LG Polymers quando os trabalhadores estavam a preparar-se para reiniciar a atividade depois de terem estado confinados por causa da pandemia de Covid-19", disse Chand.

O comissário municipal local, Srijana Gummala, disse que a zona está a ser pulverizada com água para minimizar o impacto do gás.

A Índia impôs um bloqueio em todo o país em 25 de março para controlar a disseminação da Covid-19.

As medidas começaram a ser levantadas na segunda-feira, permitindo a reabertura de lojas e unidades fabris para a retoma da atividade económica.

A Índia registou 1.694 mortos por Covid-19, tem 50 mil casos de infeção e 14.183 recuperados.