Mundo

Menina de oito anos torturada até à morte por libertar papagaios de estimação

Amir Cohen

Ferimentos nas coxas sugerem que a criança pode ter sido "agredida sexualmente".

Uma menina de oito anos, que trabalhava ilegalmente como empregada doméstica, foi morta pelos patrões, em Rawalpindi, no Paquistão, por libertar os papagaios de estimação.

No domingo, a criança - Zohra - abriu a gaiola onde estavam os papagaios para os alimentar, mas os animais fugiram, segundo o superintendente da polícia de Rawalpindi, Zia Uddin.

Como punição, os donos da casa onde a menina trabalhava - que têm um negócio de compra e venda de animais - espancaram a criança, antes de a abandonarem num hospital local, onde Zohra acabou por morreu na segunda-feira.

O hospital chamou a polícia e dois suspeitos foram presos, disse a polícia, de acordo com a CNN.

"A vítima foi levada ao hospital com viva. Tinha ferimentos no rosto, nas mãos, abaixo da caixa torácica e nas pernas. A menina também estava ferida nas coxas, o que sugere que ela pode ter sido agredida sexualmente".

A polícia foi autorizada a deter os suspeitos em prisão preventiva por três dias, enquanto investigam e reúnem evidências sobre as alegações.

Os suspeitos não serão formalmente acusados ​​até que a investigação seja concluída.

Zohra foi contratada para cuidar do bebé da família e, em troca, eles ofereceram-se para pagar a educação da menina.

  • Uma Casa Cheia
    13:06