Mundo

Separatistas ucranianos adotam russo como única língua oficial

Alexander Ermochenko

Parlamento da autoproclamada República de Lugansk adotou o russo como a única língua oficial do território.

O parlamento da autoproclamada República de Lugansk adotou o russo, o idioma mais falado nesta região do Donbass, leste da Ucrânia, como a única língua oficial do território.

O projeto-lei, que foi aprovado por unanimidade pelo parlamento local, altera o artigo 10.º da Constituição, que contemplava o russo e o ucraniano como as línguas oficiais do território controlado pelas milícias pró-russas na região de Lugansk.

"A adoção desta lei vai impulsionar os processos de integração entre a República popular de Lugansk e a Federação da Rússia", disse Nina Galan, representante do Presidente da República no parlamento, segundo informaram as agências noticiosas russas.

Apesar de o russo já ser considerado o idioma de trabalho dos funcionários da administração local, a legislação agora alterada também previa o uso do ucraniano.

"A língua oficial da República popular de Lugansk é o russo", estipula o artigo aprovado pelo parlamento. "O russo desempenha um papel fundamental na consolidação e no desenvolvimento cultural do povo da República popular de Lugansk devido às tradições histórico-culturais", precisou Galan.

Para mais, recordou que o russo é um dos idiomas oficiais das Nações Unidas e outras organizações internacionais, e utilizado em praticamente todas as antigas repúblicas soviéticas. A mesma responsável sublinhou que a nova lei não significa que se proíba o uso ou que se restrinjam os direitos de praticar outras línguas nesta república do leste, junto à fronteira com a Rússia.

Em 6 de março, o parlamento da vizinha República popular de Donetsk também adotou o russo como a única língua oficial, face à escassa utilização do ucraniano e em resposta a uma anterior decisão das autoridades de Kiev.

Antes de abandonar funções há um ano, o ex-Presidente ucraniano, Petro Poroshenko, aprovou uma lei que estipulava como obrigatório o uso da língua ucraniana nos organismos de poder e em todos os setores da vida pública, uma medida muito criticada pelos separatistas do leste e por Moscovo.

Antes de assumir o poder em 2014, Poroshenko tinha admitido conceder ao russo o estatuto de língua oficial nas regiões onde fosse falado por mais de 10% da população.

O atual Presidente, Volodymyr Zelenskiy, aprovou a utilização do ucraniano como única língua oficial, apesar de se mostrar contrário à imposição do seu uso em prejuízo do russo e de outras línguas minoritárias como o romeno, búlgaro ou húngaro.

A língua russa é falada pela quase totalidade dos ucranianos, em particular na metade leste do país, enquanto o ucraniano apenas é claramente maioritário nas regiões mais ocidentais.